RISCO CIRÚRGICO

RISCO CIRÚRGICO

Da simples remoção de uma verruga a um transplante cardíaco, todo procedimento cirúrgico tem riscos que, em sua maioria, podem ser evitados ou minimizados.

Há, de fato, uma relação entre riscos e complexidade da cirurgia. Mas todos os procedimentos cirúrgicos, por mais simples que sejam, podem ter problemas. No entanto, são muitas as formas de preveni-los ou minimizá-los.

A avaliação prévia de risco cirúrgico, mesmo para procedimentos de menor complexidade, é prática freqüente, a avaliação cardiológica, respiratória e a realização de alguns exames complementares podem detectar alterações, principalmente cardíacas, que não manifestam sintomas. A entrevista clínica com o paciente é essencial e deve ser a primeira avaliação a ser feita. Alergias, cirurgias anteriores e outros problemas de saúde também devem ser levados em consideração.

Cirurgia sem riscos associados é um mito e são muitas as possibilidades de prevenção e minimização destes riscos.